domingo, 2 de novembro de 2008

Super Especial Mercosul 2000



A VIRADA DO MILÊNIO

VASCO CAMPEÃO DA COPA MERCOSUL 2000



OUÇA O , e GOLS DO VASCO NARRADOS PELO LUIZ PENIDO

OUÇA O , e GOLS DO VASCO NARRADOS PELO "GAROTINHO"

OUÇA O GOL DO TÍTULO NARRADO PELO "GAROTINHO" JOSÉ CARLOS ARAÚJO

VEJA UM RAIO-X DA PARTICIPAÇÃO DE CADA JOGADOR NA COPA MERCOSUL

CURTA MAIS FOTOS EXCLUSIVAS DA CARREATA DOS CAMPEÕES

MANDE WEBCARDS DO VASCO CAMPEÃO DA MERCOSUL A SEUS AMIGOS

BAIXE NOSSO PAPEL DE PAREDE EXCLUSIVO COM A FAIXA DE CAMPEÃO

LEIA A CRÔNICA DE EDUARDO LOPES SOBRE O TÍTULO HISTÓRICO

VEJA FOTOS EXCLUSIVAS DO DESFILE DOS CAMPEÕES PELAS RUAS DO RIO

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO VASCO NA COPA MERCOSUL

LEIA A CRÔNICA DE RAFAEL MOREIRA FABRO: "A VERDADE É INFANTIL"

OUÇA O GOL DO TÍTULO NARRADO POR LUIZ PENIDO


O Jornal do Brasil parece ter sido o veículo que melhor descreveu, ou melhor, tentou descrever, o que ocorreu no Parque Antártica na noite do dia 20 de dezembro de 2000. Disse o JB: "Qualquer definição para a conquista de ontem do Vasco não seria suficiente para descrever o que aconteceu no Parque Antártica". Alguns dirão que é simples demais; outros dirão que é o óbvio. Mas não há como fugir disso. Afinal, só quem é vascaíno e sofreu o que nós sofremos durante toda a campanha da Mercosul 2000 pode entender o que foi o apito final do árbitro no terceiro jogo da decisão.

Nunca um título vascaíno foi tão sofrido. Basta lembrar como a caminhada para o título começou, coincidentemente numa derrota por 4 a 3 onde vencíamos o jogo por 2 a 0 e deixamos que o Peñarol virasse para 3 a 2 em menos de 15 minutos. É certo que a vitória por 3 a 0 sobre San Lorenzo em casa nos deu um alívio, mas logo depois perdemos para o Atlético por 2 a 0 no Mineirão e empatamos com o Peñarol por 1 a 1 num jogo em que fomos escandalosamente roubados. E passamos a precisar de uma combinação de resultados quase impossível, que acabou acontecendo.

Precisávamos vencer o San Lorenzo na Argentina e o Atlético em casa. Vencemos os dois jogos por 2 a 0. Precisávamos que o time reserva do San Lorenzo - já desclassificado e sem ter feito um único ponto até então - vencesse o Peñarol. E venceu! Precisávamos também que o Nacional do Uruguai empatasse ou perdesse para o Boca Juniors em casa. E empatou, por 3 a 3. Foi um sufoco, mas nos classificamos pela primeira vez para a segunda fase de uma Copa Mercosul.

Depois, pegamos o Rosário Central em São Januário. Ganhamos por 1 a 0, mesmo perdendo Romário minutos antes do início do jogo. Na partida de volta, jogamos mal e tomamos um gol aos 46 minutos do segundo tempo. Ninguém achava que teríamos moral para derrotar os argentinos nos pênaltis, mas tivemos. Hélton defendeu uma cobrança e passamos às semifinais.

Mais uma vez poucos acreditavam que o Vasco pudesse derrotar o poderoso River Plate. Lembravam-nos a todo instante daquele 5 a 1 de 1997. Mas o Vascão não esmoreceu e meteu 4 a 1 em pleno Monumental de Núñez, com uma atuação sobrenatural de Hélton. No jogo de volta, um 1 a 0 sob muita chuva e, principalmente (e lamentavelmente), sob muitas bordoadas dos argentinos.

E chegamos à decisão. O adversário seria o time "bom, bonito e barato" do Palmeiras. Fizemos uma festa inesquecível no primeiro jogo e metemos 2 a 0. A derrota no segundo jogo foi apenas um acidente de percurso. E veio o terceiro jogo em que o Vasco, cansado, vivendo um ambiente tumultuado pela troca de técnico, parecia que seria uma presa fácil para o "Porco". Ainda mais quando tomou 3 a 0 ainda no primeiro tempo, repetindo o que já havia ocorrido contra o mesmo Palmeiras no Rio-São Paulo de 2000 (na ocasião, o jogo acabou 4 a 0).

Dessa vez, portanto, a história seria diferente. O Vascão protagonizou uma das maiores viradas da história do futebol brasileiro e, com três gols de Romário e um de Juninho Paulista, levantou o título da Copa Mercosul.

Qual foi o principal aspecto desta decisão? A virada histórica? O sofrimento pelo cansaço causado pela maratona de jogos? A má vontade de parte da imprensa devido aos recentes problemas de censura em São Januário? A troca de técnico a três dias da finalíssima? A apreensão após quatro decisões consecutivas perdidas? A redenção de Romário, que era acusado de "sumir" nas decisões? O fato de o Vasco estar com um jogador a menos, e na casa do adversário?

Essas são nuances que serão discutidas ainda por muito tempo, por muitos anos, por várias gerações de vascaínos. Abençoados os que tiveram a oportunidade de ver a Virada do Milênio. A virada do time da virada, a poucos dias do fim do milênio, na casa do adversário, com um jogador a menos, sendo garfado pelo juiz (não se esqueçam do pênalti em Euller quando estava 3 a 0!), contra tudo e contra todos, como sempre foi em tudo que envolve o Vasco da Gama. Abençoados sejamos todos nós, vascaínos! O VASCO É CAMPEÃO!

Veja como a imprensa carioca noticiou a grande vitória vascaína:

VIRADA FANTÁSTICA: E o Vasco é campeão (Jornal do Brasil)
FICHA DO JOGO (Jornal do Brasil)
Vascaínos desabafam xingando (Jornal do Brasil)
Romário dedica vitória às crianças (Jornal do Brasil)
ATUAÇÕES (Jornal do Brasil)
Vasco é campeão da Mercosul com virada histórica sobre o Palmeiras (Lance!)
Time da virada (Lance!)
Baixinho é o maior (Lance!)
Estrela de Joel brilha (Lance!)
Para as crianças (Lance!)
A campanha do campeão (Lance!)
Heróis da resistência (O Dia)
Romário em noite de Pelé (O Dia)
Ficha técnica (O Dia)
Vasco consegue sua virada mais sensacional e é campeão (O Globo)
Título foi o terceiro do Vasco no continente (O Globo)
Choro emoção e um desabafo: chega de vice (O Globo)
Atuações (O Globo)
Súmula (O Globo)

Veja como a imprensa paulista noticiou a grande vitória vascaína:

Vasco vence por 4 a 3 e é campeão (O Estado de São Paulo)
Cerca de 10 mil fora da final (O Estado de São Paulo)
Eurico Miranda promete largar o Vasco (O Estado de São Paulo)
Romário cala o Verdão (Gazeta Esportiva)

Eurico diz que só sai após título mundial (Péle.net)
Até Dinamite entrou na festa do Vasco (Péle.net)
Vasco vira jogo sensacional e conquista a Copa Mercosul (Uol)
"O Vasco mereceu porque somos melhores tecnicamente", diz Romário (Uol)

Romário brilha, vira o jogo, e Vasco é campeão da Mercosul (Folha de São Paulo)
Jogadores do Vasco dedicam título a Oswaldo de Oliveira (Folha de São Paulo)
Título da Mercosul quebra 'síndrome do vice' no Vasco (Folha de São Paulo)


Veja os vídeos dos quatro gols históricos da Virada do Milênio:

1º Gol - Romário (pênalti)
2º Gol - Romário (pênalti)
3º Gol - Juninho Paulista
4º Gol - Romário


Veja as fotos da noite histórica:

Romário e Juninho Paulista comemoram o 3º gol
Romário comemora o 4º gol
Jogadores festejam o título
Romário com a taça de campeão
Eurico comemora o título com os jogadores

Veja mais fotos da noite histórica (adicionadas em 28/12/2000):

Alex Oliveira, Euller, Romário (com a taça) e Jorginho Paulista
Clébson, o único vascaíno que participou de todos os jogos
O "Filho do Vento" em ação na finalíssima
Eurico e os jogadores comemoram o título como se fossem crianças
Júnior Baiano não dá refresco!
Jorginho Paulista chegou da Itália para tomar conta da lateral-esquerda


Veja o pôster do Vascão Campeão:

Dois papéis de parede do time campeão!


Veja as fichas de todos os jogos do Vasco na Copa Mercosul 2000:

Primeira Fase

Peñarol 4 x 3 Vasco
Vasco 3 x 0 San Lorenzo
Atlético-MG 2 x 0 Vasco
Vasco 1 x 1 Peñarol
San Lorenzo 0 x 2 Vasco

Vasco 2 x 0 Atlético-MG

Quartas-de-Final

Vasco 1 x 0 Rosário Central
Rosário Central 1 x 0 Vasco (Nos pênaltis, Vasco 5 a 4)

Semifinais

River Plate 1 x 4 Vasco
Vasco 1 x 0 River Plate

Finais

Vasco 2 x 0 Palmeiras
Palmeiras 1 x 0 Vasco
Palmeiras 3 x 4 Vasco

Nenhum comentário: